FIOCRUZServiços
Homepage -> Materiais Educacionais -> Arte

Arte 10/11/2021

Músicas

Música 1 – Aprendendo a doença de Chagas através da elaboração de uma paródia.   Ana Flávia Silva Mesquita – Acadêmica do curso de Ciências Biológicas da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – anaflaviamesquita@yahoo.com.br Nathália de Assis Rodes – Acadêmica do curso de Ciências Biológicas da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – nathaliarodes@yahoo.com.br Marcelo Diniz Monteiro de Barros – Professor Adjunto IV do Departamento de Ciências Biológicas da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – Professor Colaborador da Pós-Graduação em Ensino em Biociências e Saúde – PG-EBS, IOC – Fiocruz – marcelodiniz@pucminas.br

Voltar ao topo

POESIAS

PALAVRAS SENTIDAS

Alberto Novaes Ramos Jr.

Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Medicina, Departamento de Saúde Comunitária, Fortaleza, Ceará, Brasil

As palavras existem em mim

Muito embora não as possa arrancar

Com o afã ou as garras de um poeta

Palavras que se perdem entre dedos de mãos calejadas

Querendo me revelar a cada momento de luta pela vida

Ao sabor do sol, em meio a suor, lágrimas e sangue,

Nas noites ao luar, em meio à fadiga e devaneios

As palavras existem em mim

Muito embora não sejam compreendidas

Com meus sentimentos, tradições, culturas e ignorância

Palavras que ecoam no vazio ao meu redor

A reverberarem no Universo de meus pensamentos

Que me levam a mundos desiguais e injustos nas entrelinhas

E que me impregnam de silêncio, desesperança e tristeza

As palavras existem em mim

Muito embora sem escuta, invisíveis

A me observarem na desumanidade, na falta de calor do outro

Em cenários rurais ou urbanos, de terras minhas ou distantes

A me desfigurarem ainda mais na essência e nos direitos

No exato momento em que me encontro com uma nova face

De “chagásico” e “portador de parasito”

As palavras existem em mim

Muito embora com amarras densas, pela nova face que trago

Busco libertar-me ou curar-me, mas sem sentidos ou vigor,

Perco-me na invisibilidade de meus sentimentos

Destino de meus antepassados, assim escrito

Pletora de pobreza, estigma, culpa e ressentimentos

Caminhos cruzados por anos e gerações de sofrimento

As palavras existem em mim

Muito embora não libertadas, com o tratamento do “parasito”

Muitas marcas que buscam atenção, respostas e cuidado

Mas que teimam em me desestruturar do meu eu

Fragilizam o meu coração e ferem minha essência e alma

Meus poros se fecham, meu suor, sangue e lágrimas se calam

Incapaz de mim mesmo, sigo na busca da perda do meu eu

As palavras existem em mim

Muito embora…

E eis que surgem plenas, em um profundo e inusitado encontro

Vida em cegueira se esvai em um sorriso

Com afeto e preocupação, me escutam

“Como se sente”? “Estamos juntos!” “Você é capaz!!!”

Humanidade, atenção, estima e encontros, também comigo mesmo

As palavras existem em mim

Mas não apenas em mim…

Em milhões de pessoas como “eu”

Em pessoas como “você”, que se importa

Nesta singela e bela certeza do “nós”, espaços infinitos…

Para mais encontros, juntos, nas tramas da vida

Palavras sentidas.

Voltar ao topo

Filmes

Camponeses contra doença de Chagas (Argentina, 2015).

Chagas: Reconhecer aparência, adicionar vozes, encurtar distâncias.

Juana & Mateo contra Chagas – Capítulo 1.

Juana & Mateo contra Chagas – Capítulo 2.

Juana & Mateo contra Chagas – Capítulo 3.

Juana & Mateo contra Chagas – Capítulo 4.

Juana & Mateo contra Chagas – Capítulo 5.

Juana & Mateo contra Chagas – Capítulo 6.

Juana & Mateo contra Chagas – Capítulo 7.

Juana & Mateo contra Chagas – Capítulo 8.

Doença de Chagas: O adoecer do coração.

http://tvbrasil.ebc.com.br/caminhos-da-reportagem/2018/08/doenca-de-chagas-o-adoecer-do-coracao

https://youtu.be/LTf4eK0mFpo Aprendendo a doença de Chagas através da elaboração de uma paródia.  

Ana Flávia Silva Mesquita – Acadêmica do curso de Ciências Biológicas da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – anaflaviamesquita@yahoo.com.br

Nathália de Assis Rodes – Acadêmica do curso de Ciências Biológicas da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – nathaliarodes@yahoo.com.br

Marcelo Diniz Monteiro de Barros – Professor Adjunto IV do Departamento de Ciências Biológicas da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – Professor Colaborador da Pós-Graduação em Ensino em Biociências e Saúde – PG-EBS, IOC – Fiocruz – marcelodiniz@pucminas.br